Mortuus


Quão divina é esta criatura
Que de olhos banhado em lágrimas se pendura
Doce presença que por noites se encerra
Causando-me saudades certas

Anjo caído em dor
Uma rosa aprecia seu odor
Um caminho perdido à andar
Medos e incertezas por falhar

Tua tristeza traz-me uma morte lenta
Tua felicidade é algo que me contenta
Dores são apenas fraudulentas
Amores invisíveis que não os sustenta

Frio desta madrugada nos acalma
Distância de um abraço, sou intocada!
Amigo meu, sinto-lhe como num Éden de sonhos
Anjo meu, anjo meu, salvaria-te de pesadelos medonhos

2 comentários:

Inominável Ser 5 de julho de 2009 05:24  

Inomináveis Saudações, Medye Platinum.

Este vosso blog expressa bem a vossa capacidade literária e poética, gostei do diário, dos poemas e vou ler com mais calma os posts anteriores, te acompanhando.

Gostaria de saber como pôr em meus blogs o código anti-cópia de conteúdo, por favor. Aguardo-lhe a resposta.

Saudações Inomináveis, Medye Platinum.

cris 5 de julho de 2009 14:52  

Um tanto instigante e contagioso de emoções.
Tu és muito boa no que faz menina!
Vou te seguir.
beijinhos,
Cris.

Sobre este blog

Minhas crianças

Olhos da janela

Minha foto
Uma sonhadora de um mundo de fantasias. Onde todo o irreal que inunda cada linha de pensamento se dissipa no fim de uma avenida, um olhar poético que cria a dor e a felicidade de ter algo além da imaginação. E um trabalho mais que amado criado por mim e somente a mim terminado. Sou Medye Platinun. Muito prazer.

Página Protegida Por Direitos Autorais! Não copie, crie!

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

Use e abuse... Da sua criatividade!