Maldito


Cá estou, num lugar escuro, sinto frio
Pra cá olhou, vermelho como chamas, nasceu um arrepio
Sua história foi escrita na lama
Derrotado como é, seu sangue ele derrama

Olhe para mim, somos amigos
Fique, mas não se desvie em pensamentos malignos
A noite vem, e logo vem o sono
A noite passeia, e logo vem um sonho

Pronto, gemidos e gritos ensurdecem meu pensar
No caminho das flores, elas começam a queimar
A pele arde, os olhos gritam
O sonho acaba, seus pulsos respiram

Morra maldito! Morra!
Passos ecoam na sala
Morra maldito! Morra!
Seus olhos viram, minha boca se cala

Aqui, seus ossos tremem
Agora, seus instintos temem
Ouço pessoas morrendo
Sinto meu medo crescendo
E o risco de arder num fogo eterno
Me cria a dor do incerto

Onde estou? Onde estou?
Numa casa de espelhos me perco
Onde você me encontrou? Onde me encontrou?
Espíritos pensam que para eles apareço

As piadas infames racham a cabeça
Mentiras insanas acabam com minha realeza
O maldito sempre viveu em mim
O maldito sempre viveu de mim
Nunca fui capaz disso, ver
Sou aquela que não terá seu fim
Então, tudo bem em desejar morrer

Não fui capaz de ser
Nunca fui capaz de ver
Que nos meus olhos haviam meu reflexo invertido
Daquele ser que de olhos em chamas era o maldito.

1 comentários:

Sweet Biia. 31 de julho de 2009 01:03  

"O maldito sempre viveu em mim
O maldito sempre viveu de mim
Nunca fui capaz disso, ver
Sou aquela que não terá seu fim
Então, tudo bem em desejar morrer"

rs, ameei esse poema .-.
principalmente essa parte. muito lindo Medye! (L)

Sobre este blog

Minhas crianças

Olhos da janela

Minha foto
Uma sonhadora de um mundo de fantasias. Onde todo o irreal que inunda cada linha de pensamento se dissipa no fim de uma avenida, um olhar poético que cria a dor e a felicidade de ter algo além da imaginação. E um trabalho mais que amado criado por mim e somente a mim terminado. Sou Medye Platinun. Muito prazer.

Página Protegida Por Direitos Autorais! Não copie, crie!

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

Use e abuse... Da sua criatividade!